Mudança de carreira: quando a gente deve pensar nisso?

avaliacao de carreira no gentecomgente

Segue em primeira mão a entrevista que concedi ao Indicas.com.br:

Quais são os principais motivos que levam as pessoas a mudar de carreira?

Profª Fernanda – Os jovens brasileiros precisam decidir, muito cedo, os rumos do seu futuro profissional. Com 18 anos, muitos ainda são imaturos e não tem clareza sobre seus objetivos pessoais, muito menos, profissionais. A concorrência acirrada do mercado de trabalho os obriga, apesar da insegurança, a definir o que cursarão na universidade e a ingressar o quanto antes no mercado de trabalho. Assim começa a vida profissional de muitos brasileiros! Quando não há uma identificação profunda entre a carreira e os valores e objetivos pessoais, ou seja, quando não é possível encontrar realização pessoal no trabalho, as pessoas se frustram. Com o tempo, a rotina do trabalho as consome. Elas se sentem infelizes e sem perspectiva, mesmo tendo alcançado uma remuneração razoável.

Além da falta de realização pessoal no trabalho, há ainda outros motivos que levam as pessoas a mudarem de carreira ao longo da vida como: mercado de trabalho saturado e motivos relacionados à história de vida de cada um, que podem ou não, estarem relacionados ao trabalho. Assim, incluem-se motivos como: lesões ou traumas decorrentes de acidentes, doenças e tratamentos de saúde, mudança de cidade, estado ou país; relacionamentos afetivos, relacionamento familiar, filosofia de vida, religião entre outros.

insatisfacao no trabalho no gente com genteQuais são as insatisfações que elas apresentam com o trabalho que possuem, mesmo que estejam ganhando dinheiro?

Profª Fernanda – Quem não possui realização pessoal no trabalho entende como ninguém que dinheiro não é tudo. Mesmo com um salário razoável ou, até mesmo, acima da média, a pessoa se sente infeliz. Há uma sensação de falta de harmonia, como se o trabalho o afastasse ou prejudicasse a realização de seus objetivos pessoais. O tempo e energia investidos no trabalho podem chegar a ser vistos como desperdício de oportunidades de se fazer outras coisas.

As insatisfações costumam surgir sob a forma de queixas corriqueiras relacionadas à distância entre casa e trabalho, trânsito, estresse, clima de trabalho desarmônico, dificuldades de relacionamento com colegas e/ou com superiores, dificuldade em cumprir prazos e horários ou simplesmente, apenas uma sensação de desconforto ou falta de motivação sem explicação aparente.

Se o dinheiro fosse o único retorno almejado em uma profissão, o trabalho voluntário não existiria. Não existe profissão perfeita, existem as que mais se adaptam ou se afastam do perfil de cada um.

Tem quem seja feliz sendo piloto de avião, mas também há quem morra de medo de altura e sequer possa se imaginar nesta situação, não é mesmo?

orientacao profissional no gente com genteE por que muitas pessoas demoram para mudar de carreira?

Profª Fernanda – Em muitos casos, é necessário experimentar a profissão, vivenciar a rotina, desempenhar diferentes ocupações dentro da profissão para poder se decidir (com um pouco mais de segurança) se aquela realmente não é a carreira dos sonhos. E isso leva tempo. Por isso, a mudança nem sempre é imediata.

A vontade de ser independente financeiramente faz com que muita gente agarre a primeira oportunidade que vê pela frente. E depois de alguns anos, já com conhecimentos mais consolidados sobre o assunto, experiência na área, uma certa estabilidade no emprego, pendências financeiras e o avançar da idade falta coragem para começar tudo de novo.

Quais as maiores dificuldades que elas enfrentam nesse processo?

Profª Fernanda – A maioria das pessoas leva alguns anos até descobrir que são infelizes no que fazem. Dentre as dificuldades que permeiam o processo de decisão em dar uma guinada na carreira, a primeira e, talvez a maior delas, consiste em dar o pontapé inicial, abandonar aquilo que se fazia antes e lidar com a insegurança de um futuro incerto. O peso dessa decisão também se agrava conforme o momento de vida em que a pessoa está. Pessoas com dívidas, casadas ou com filhos têm mais dificuldade de se permitirem correr esse risco. Muitos insistem em continuar no emprego, ainda que infelizes, enquanto refletem outras possibilidades profissionais. Entretanto, após um dia de trabalho, nem sempre sobra energia necessária para se dedicar a essa decisão tão importante.

mudanca de carreira no gente com genteDecidir o que fazer e qual direção seguir é a dificuldade que vem logo a seguir. Muitas pessoas não têm clareza de suas competências e potenciais, nem dos aspectos que precisam melhorar em si mesmas. Reservar um tempo para refletir sobre o assunto é fundamental, afinal, poucos se permitirão uma terceira chance de começar tudo do zero.

Investir tempo, energia e, muitas vezes, dinheiro em uma nova formação é outra dificuldade. Estabelecer uma rotina de estudos nem sempre é fácil para quem já se desabituou à vida acadêmica. Em alguns casos, ainda é necessário conciliar trabalho e estudos (família e filhos), já que nem todos possuem reservas financeiras suficientes para se manterem nesse período. Por fim, há ainda a pressão do mercado de trabalho competitivo, que prioriza mão de obra jovem e barata, e críticas de familiares e amigos, que nem sempre apoiam tal decisão.

Quais são os principais medos e dúvidas que a pessoa tem ao resolver mudar sua carreira ou se dedicar a um novo projeto?

Profª Fernanda – Dedicar-se a um novo projeto de vida envolve muitos medos e incertezas, afinal, é como mergulhar no desconhecido. Não é possível prever o futuro! Como comentei anteriormente, as dúvidas mais frequentes se referem aos possíveis rumos profissionais e à avaliação das habilidades e competências de cada um.

O medo de regredir profissionalmente está entre os maiores temores de quem resolve mudar de carreira, seguido ao medo do fracasso e o receio de uma nova frustração. A insegurança financeira decorrente da ausência de vínculo empregatício é outro temor altamente significativo.

Qual a importância de buscar ajuda profissional?

Profª Fernanda – Buscar ajuda profissional pode ser importante quando a pessoa, por si só, não consegue vencer essa crise. Para isso, o ideal é procurar profissionais especializados em orientação de carreira ou coaching, que possam ajuda-lo a traçar um panorama sobre as potenciais possibilidades profissionais e a planejar sua carreira, além de oferecer uma visão do cenário externo, das oportunidades existentes e das tendências do mercado; ou ainda um psicoterapeuta que o auxilie no processo de autoconhecimento, se for o caso.

coaching no gente com gente

Que conselhos você daria a quem está pensando em mudar de carreira?

Profª Fernanda – Fazer uma reflexão profunda sobre sua atual situação profissional e o nível de realização pessoal é o primeiro passo. Avalie seu grau de satisfação e motivação com seu atual trabalho, independente da remuneração. Diferencie insatisfações pontuais e momentâneas de insatisfações profundas e duradouras. Tente identificar aspectos e valores fundamentais para você seja em relação à vida, ao contato com as pessoas, a uma atividade profissional, ao meio ambiente e aos princípios morais em que você acredita. Cuidado com os modismos e as opiniões de terceiros, inclusive testes vocacionais amadores. Compare tudo isso com sua situação atual e se, ao final, você decidir que será mais feliz em outra área, por que não?

Entrevista concedida à Indicas por Fernanda Suguino, psicóloga (C.R.P. 06/72972) formada pela Univ. Mackenzie e pós-graduada pelo Naippe-USP. Professora de Recursos Humanos e Desenvolvimento Interpessoal. Site: gentecomgente.wordpress.com

Se você se interessou por este tema, também poderá gostar de Realização Pessoal – Qual é a sua?, Mudança de carreira… Você nunca pensou nisso? Por que tem gente que tem medo de crescer?

Imagens: Google Imagens

Texto por Fernanda Suguino. Todos os direitos reservados.
Reprodução parcial permitida com citação obrigatória do link de origem.

Anúncios

Autor: Fernanda Suguino

Fascinada por gente que pensa, questiona e desafia a si mesmo. Psicóloga formada pela Universidade Mackenzie e pós-graduada em Psicopatologia pela NAIPPE/USP.

5 comentários em “Mudança de carreira: quando a gente deve pensar nisso?”

  1. Estou no pior tempo da minha vida pessoal. tenho 34 anos, sou solteira fiz faculdade de contabilidade, sempre trabalhei como auxiliar de alguém na área financeira, estudei muito, na teoria sou nota dez. Passei em um concurso público de nível superior em minha área e agora veio o grande problema, não consigo assumir a função, me acho incapaz, estou infeliz e com muito medo de tudo e de todos. O salário não ruim mas eu simplismente não consigo fazer nada. Estou a seis meses de licença médica e não sei o que fazer …..

    Curtir

    1. Olá Juliana,
      Provavelmente você impôs um nível de cobrança interna muito elevado e o medo de fracassar ou decepcionar você mesma e as pessoas que depositam confiança em você estão lhe paralisando. O fato de ter passado em um concurso público prova a sua capacidade. Você conseguiu! Teoria e prática andam juntas. Permita-se conhecer a função, a rotina do trabalho e se depois disso você decidir que isso não é pra você, parta para outra. Só não esqueça de que você não precisa ser sempre nota dez para ser feliz. Errar faz parte do aprendizado. Tente! Ficar em casa só vai contribuir para aumentar essa sensação de insegurança. O trabalho precisa ser um complemento da nossa vida, não uma muralha.
      Abraços
      Fernanda

      Curtir

  2. Aline Lopes Bering, de 24 anos, se formou em turismo, com ênfase em hotelaria, mas hoje seu local de trabalho é o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Não, ela não abandonou sua carreira. Na realidade, Aline acabou sendo absorvida por um mercado que está em plena expansão no Brasil — o turismo médico.

    Curtir

  3. Eu sou um exemplo. Queria veterinária, fiz administracao. Fui bancaria, corretora de imóveis e agora achei meu rumo. Empresaria no ramo de tv. Consigo colocar minhas idéias, tenho liberdade e autonomia… E o melhor sou feliz. O dinheiro é consequência. Mas é preciso ter coragem.
    E tb tive apoio da família, sem isso nada seria possível

    Curtir

Você também já passou por isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s