É muito difícil ser homem!

dificil-ser-homemAlgumas culturas consideram o sexo masculino um símbolo de força e poder. Mas o que muita gente ignora é que, por trás desse estereótipo, há um ser frágil que ao longo da vida nem sempre foi incentivado a reconhecer e lidar com suas próprias emoções.

Ditados populares como “homem não chora” reforçam a repressão de sentimentos, criando um verdadeiro caos interno. Muitos homens nunca aprenderam o verdadeiro significado de sentimentos como carinho, compreensão, tolerância ou amor. Os sentimentos quase sempre foram atribuídos à figura feminina, símbolo da beleza e da fertilidade.

Ainda que soe  absurdo, há homens que sentem receio em permitir que os sentimentos “femininos” venham à tona. Engolem o choro, ignoram a insegurança e reprimem o amor só de imaginar o que os outros vão pensar dele ao verem assim. Alguns sentem vergonha, outros sentem-se fracos, outros nem sabem mesmo o que sentir (talvez até pensem que o melhor é não sentir). Mas isso obviamente não significa que esses sentimentos não existem, não é mesmo?

sentimentos nao sao numeros

E para completar, muitos homens sequer comentam sobre seus medos, inseguraças ou fraquezas com as pessoas mais íntimas. Alguns familiares e amigos reforçam incoscientemente o estereótipo “machão”, seja criticando ou zombando os rapazes mais emotivos. Até mesmo o diálogo com o próprio pai acaba deixando o tópico “emoções e sentimentos” de lado. Isso sem comentar os casos de crianças que crescem sem a presença de uma figura paterna presente e participativa.

A mídia também não facilita! O galã é quase sempre bonito, forte, sedutor. Realidade esta que passa a quilometros de distância de muitos rapazes. Claro que este “detalhe” raramente merece espaço e atenção nas conversas masculinas.

Resultado: muitos homens ignoram o que sentem e/ou nunca aprenderam a lidar com suas emoções. Assim, não é surpresa alguma observar que muitos têm dificuldades em reconhecer se o que estão sentindo é raiva, orgulho ou simplesmente tristeza. Muitos têm dificuldades de expressar o que sentem em palavras, gestos ou ações.

sopa de emocoes

Daí, nem precisa se sentir surpreso quando as queixas mais comuns são:

– meu namorado tem dificuldades em me dizer o que sente
– quando discutimos sobre gostar e amar, parece que estou falando grego
– nunca sei se quando ele diz que está tudo bem, está tudo bem mesmo
– discutir a relação é praticamente um monólogo

O fato é que muitos homens se deparam com a necessidade de reavaliar seus sentimentos quando estão em um relacionamento. Aí percebem a necessidade de amadurecer, a importância de se comunicarem e a importância da troca de sentimentos. Portanto, meninas, não achem que eles fazem isso de próposito!

Diferente das mulheres, que são incentivadas a falar sobre si e o que sentem abertamente, homens aprendem isso de forma velada, muitas vezes já na idade adulta. Antes de criticar, tentem ajuda-los a se reconhecer. Apoie e verbalize o que ele ainda não é capaz de exprimir em palavras. Agora, claro que cabe a cada um a responsabilidade em querer evoluir e se tornar uma pessoa melhor. Isso só você pode fazer por você mesmo!

Leia também:

Texto por Fernanda Suguino. Todos os direitos reservados.
Reprodução parcial permitida com citação obrigatória do link de origem.

Anúncios

Autor: Fernanda Suguino

Fascinada por gente que pensa, questiona e desafia a si mesmo. Psicóloga formada pela Universidade Mackenzie e pós-graduada em Psicopatologia pela NAIPPE/USP.

5 comentários em “É muito difícil ser homem!”

  1. Mais uma querendo falar do Universo masculino!!! vc não esta falando de homem mesmo né? acho que vc escreve muito bem, mas não sabe o que passa na cabeça de um Homem…. Não somos sensíveis, temos sim preocupações com a família e muitas coisas…. não tenho vontade de chorar!!!
    pense nisto!!

    Curtir

    1. Oi Rodrigo,
      obrigada pelo comentário. Independente de ser homem ou mulher, cada pessoa é única. E é claro que nem todos os homens são frágeis ou tem vontade de chorar. O texto tem o objetivo apenas de quebrar estereótipos sociais relacionados à figura masculina, que acabam sendo reforçados e divulgados massivamente pela mídia, e muitas vezes são absorvidos sem às devidas críticas. Não tenho a pretensão de associar a imagem masculina ao sexo frágil, mas quero apenas mostrar que ao longo de suas vidas, homens são menos estimulados do que as mulheres a lidarem e falarem sobre seus sentimentos abertamente.
      Cada um tem uma história de vida diferente (ainda bem)! Como exemplo, veja, por exemplo, o comentário do Jorge Ribeiro.
      Um grande abraço
      Fernanda

      Curtir

  2. Fui criado numa família muito tradicional e conservadora. Quando era menino gostava de flores e de brincar de roda. Fiquei muito chateado quando me disseram,pela primeira vez,que pelo fato de eu ser menino,não podia gostar de flores e nem brincar de roda,porque tudo isso era “coisa de menina”.Comecei a me sentir um pouco “aprisionado”,pois meu sexo dizia que eu não podia gostar das coisas que eu,simplesmente,adorava.
    Nunca gostei de lutas,mas meu irmão gostava. Ele e meu pai estavam sempre brincando de boxe.Às vezes me chamavam pra brincar com eles,mas claro, eu nunca aceitava,pois achava aquela brincadeira um saco.
    Entrei para a escola,comecei a ter contato com outros meninos.Vi que a violência física era algo muito comum entre eles. Como não aprendi a brigar,sempre apanhava. Alguns meninos eram maus,eu tinha medo deles,e do jeito ameaçador com que falavam com outros garotos. Muitas vezes comentava esses meus medos com a minha família,e o que eu ouvia dela era só xingamentos,pressões e repressões. “Seu molengão! Se vire! Aprenda a brigar que ninguém aqui vai ficar te defendendo!
    Percebi muito cedo que a sociedade espera que todo indivíduo do sexo masculino seja muito forte e não tenha medos,mesmo que esse indivíduo tenha apenas 7 anos de idade.
    Quando estava junto das minhas primas,e algum problema tinha que ser resolvido,meu avô dizia que eu tinha que resolver sozinho,e minhas primas não tinham que se mexer pra nada,porque eu era homem e homem tem que ter atitude.
    Refletia em como era duro e chato ser homem,não podia gostar de flores,não podia brincar das brincadeiras que gostava,não podia sentir medo,tinha que ter atitude desde os 7 anos de idade…Pensava: “Se ainda sou só um menino e me tratam com tanto rigor,imagine quando eu crescer e for um homem! Não estou preparado e talvez nunca esteja preparado para ser homem!” Decidi então que não ia mais crescer. Desde os meus 8 anos dizia pra todos que não queria crescer. Me chamavam de “Peter Pan”,mas eu nem ligava. Peter Pan era um sábio.
    Acabei crescendo pouco,meu irmão,que é mais novo,ficou maior que eu,a voz dele engrossou e a minha continuou fina porque eu não a deixava engrossar,meu irmão deixava a barba crescer e eu estava sempre raspando a minha,além disso eu ainda continuava com atitudes infantis. Todo mundo pensava que eu era mais novo que meu irmão,apesar de eu ser mais velho. Eu não queria namorar,nem dirigir carros,nem fazer faculdade,nem sair com outros adolescentes para festas…Eu só queria viver como um garotinho,assistir desenhos e brincar na rua.
    Minha família sofreu com isso,passava vergonha e desgosto com minhas infantilidades. Mas o que eu podia fazer?Eu tinha um medo imenso de me tornar homem. A vida de um homem adulto pra mim parecia cinzenta,eu achava que nunca seria feliz como adulto,que a vida de um homem só pode ser menos infeliz quando ele é criança.
    Conto esta história para que todos saibam que meninos não são todos iguais,e meninas também não.E para que vejam o mal que podem fazer a uma criança enchendo sua cabeça de regras,de “podes” e “não podes”. Isso pode gerar traumas e muita infelicidade,que se estendem até à vida adulta.
    Ninguém deve ser privado de ser como é,todos devem ser livres para se manifestar desde crianças. Todo ser humano é fantástico, único, multidimensional, multifacetado,e não deveria ser reduzido a isso: ter cada escolha da vida definida por causa da sua genitália.
    Se há meninos que gostam de futebol e meninas que gostam de boneca,também há meninos que gostam de cuidar de flores e meninas que gostam de soltar pipa.Se muitos meninos são valentões e gostam de lutas,e muitas meninas gostam de vestidinhos,outros muitos meninos odeiam lutas e outras muitas meninas odeiam vestidinhos.
    Sentir medos e carências não é coisa só de meninas,meninos também precisam de pelo menos uma palavra de conforto quando estão com medo. Assim como nem sempre uma menina é frágil como um vaso de porcelana,muitas meninas gostam de jogar futebol,subir em árvores e não são menos fêmeas por causa disso.
    Repressões ligadas ao gênero podem afetar de forma séria a autoestima de uma pessoa. O melhor é aceitar o filho ou a filha como é, valorizando sua singularidade e não reprimindo-a. Se um garoto tem uma voz suave ou uma garota fala grosso,irá provavelmente sofrer abusos fora de casa. Os pais devem acolhê-lo(a) e não reproduzir o preconceito social. Reprimir não resolve e acaba gerando consequências bem sérias,como aconteceu comigo.

    Curtir

  3. É a primeira vez que eu vejo uma mulher dissertar sobre o universo masculino com tanta sensibilidade e imparcialidade se abstendo do feminismo e discurso agressivo. Parabéns! O mundo precisa de mais mulheres como você, Fernanda Suguino.

    Curtido por 1 pessoa

Você também já passou por isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s