Dor de cotovelo: Ciúmes, traição, relacionamento

dor de cotoveloFiquei afim de um rapaz, logo que eu o vi não o conhecia, nunca tinha o visto antes, puxei conversa com ele dei uma cantada nele.

Aí meu amigo, para se vingar de mim, começou dar em cima desse rapaz. Esse meu amigo, que agora é ex-amigo, estava chateado comigo e para se vingar de mim ficou cantando esse rapaz pois, sabia que eu era afim dele. Ele começou a dificultar que eu cruzasse com o rapaz na rua ou em qualquer lugar. Um tempo depois, descobri que eles estavam ficando. Meu ex-amigo espalhou para a geral que tava pegando um cara que eu era afim e falava que não era afim dele.

Descobri agora que meu ex-amigo só fica com esse cara que eu era afim pois ele lhe dá dinheiro e paga suas contas, mesmo não gostando dele. Puro interesse… Não sei se o tal rapaz gosta dele…

traicao no relacionamentoQuando esse rapaz me ver fica super tímido umas vezes trocamos olhares… sou um pouco afim dele ainda, mas jamais teria algo com ele… Fiquei muito chateado com essa história.

Envie seu comentário e ajude a solucionar essa situação. O que você faria?

Mande seu caso para gente.tadificil@gmail.com
Não é necessário se identificar!

Ver mais casos

Anúncios

O significado das pequenas coisas

significado pequenas coisasInfelizmente, muita gente só se dá conta do que está acontecendo, quando as coisas tomam proporções irreversíveis. Aí, já é muito, muito tarde tarde. Muito tarde para remediar a situação, para voltar atrás ou até para sair correndo.

Muita gente fica surpreso quando aquele colega de trabalho lhe passa a perna, quando o relacionamento termina ou quando é demitido do trabalho. Não é raro observar que algumas pessoas reagem como se jamais esperassem que tal coisa pudesse acontecer.

Os últimos acontecimentos te pegaram de surpresa? Surpresa, por quê? Antes da situação tomar rumos drásticos, muito provavelmente, você deve ter recebido inúmeros  pequenos sinais (muitos mesmo) de que as coisas já não andavam lá muito bem, não é mesmo? Às vezes, os sinais são claros. Claríssimos! Praticamente óbvios! E ainda assim tem gente que parece que não vê (ou não quer ver a realidade).

Provavelmente, não faltaram chances de perceber que realmente não dava para confiar no João*. Ele raramente cumpria os horários. Quantas vezes te deixou esperando? Ele mentia. Telefonava para o trabalho dizendo que estava doente, enquanto passava o dia na praia com você. Ele dizia que te amava, mas era super agressivo até com o próprio cachorro. E ainda assim, você não conseguiu perceber que as coisas iam dar errado?

depois que o barco afundouClaro que depois que o barco afundou, a gente consome um tempão tentando entender o que houve. Repetimos a história mil vezes na nossa cabeça como num filme. Avançamos, retrocedemos, tentamos revisar tudo em câmera lenta, inventamos mil e uma versões possíveis para o final da história. É aí que nos fazemos aquelas perguntas clássicas: Por quê? Onde foi que eu errei? E se eu… tentar voltar atrás? E se eu… isso? E se eu aquilo?

O fato é que, na grande maioria das vezes, a gente praticamente ignora os tais pequenos sinais que nos alertaram de várias formas para o fato de que as coisas não estavam caminhando como o esperado. Depois que tudo passou é que as peças do quebra-cabeça começam a fazer sentido. É como se a gente estivesse cego e não fosse capaz de interpretar o óbvio. Mesmo quando um amigo ou mesmo nossos pais tentaram nos tirar a venda dos olhos, ainda assim não fomos capazes de enxergar o que se passava bem na frente do nosso nariz.

Por que não percebemos antes?

Talvez por tentar manter viva a esperança de que era apenas algo passageiro. Talvez por medo de sofrer ou por medo de “estragar” tudo, a gente fica meio cego, releva, tolera, aceita, leva numa boa, ignora. Não importa o nome que você queira dar a essa reação, mas no fundo, você se negou a ver a realidade como ela realmente é.

Preferiu realidade cega no gentecomgenteusar os óculos da ilusão. É como se a lente do óculos estivesse meio embaçada e a gente só fosse capaz de ver o que queria ver, o que queria que acontecesse.

Ignorar o significado das pequenas coisas faz com que a gente também ignore o fato de quem é capaz de mentir um ponto, também é capaz de mentir um conto! Ignoramos o fato de quem não respeita nem a si mesmo, não respeitará você também. Quem não tem escrúpulos no bar, também não tem escrúpulos no trabalho! Quem é falso com o vizinho, também é capaz de ser falso com um amigo. Quem não ama a si mesmo, não pode amar o outro. E por aí vai.

A verdade é que todos esses fatos estava alí, bem debaixo do nosso nariz. Vimos tudo isso acontecer, uma, duas, n-vezes. Mas não quisemos acreditar no que os nossos olhos estavam nos mostrando, devido a diversos motivos internos. E no fim, nos surpreendemos como se estivéssemos vendo aquele filme pela primeira vez.

Talvez repetimos e remoemos o passado, porque não conseguimos acreditar como fomos capazes de permitir que as coisas tivessem sido como foram. E para isso, procuramos, inventamos e (até) encontramos diversas justificativas para aliviar essa culpa que nos transtorna. Mas a verdade é que, se tivéssemos dado mais atenção ao significado das pequenas coisas, talvez teríamos tomado providências no tempo certo ao invés de chorar o leite derramado.

Por isso, aguce os sentidos, preste mais atenção nos detalhes, tente montar o quebra-cabeças com mais frequência, fique atento para as peças que estão faltando (ou sobrando). Tenha certeza de que nada está ali por um mero acaso. Tudo cumpre uma função e tem uma razão de ser. Só assim teremos uma chance de perceber e/ou  compreender os alertas que aquelas pequenas coisas nos dão. Meros pequenos detalhes, que no fim, fazem toda a diferença.

valor das pequenas coisasVer também:

* Nome meramente ilustrativo.

Texto por Fernanda Suguino. Todos os direitos reservados.
Reprodução parcial permitida com citação obrigatória do link de origem.

É muito difícil ser homem!

dificil-ser-homemAlgumas culturas consideram o sexo masculino um símbolo de força e poder. Mas o que muita gente ignora é que, por trás desse estereótipo, há um ser frágil que ao longo da vida nem sempre foi incentivado a reconhecer e lidar com suas próprias emoções.

Ditados populares como “homem não chora” reforçam a repressão de sentimentos, criando um verdadeiro caos interno. Muitos homens nunca aprenderam o verdadeiro significado de sentimentos como carinho, compreensão, tolerância ou amor. Os sentimentos quase sempre foram atribuídos à figura feminina, símbolo da beleza e da fertilidade.

Ainda que soe  absurdo, há homens que sentem receio em permitir que os sentimentos “femininos” venham à tona. Engolem o choro, ignoram a insegurança e reprimem o amor só de imaginar o que os outros vão pensar dele ao verem assim. Alguns sentem vergonha, outros sentem-se fracos, outros nem sabem mesmo o que sentir (talvez até pensem que o melhor é não sentir). Mas isso obviamente não significa que esses sentimentos não existem, não é mesmo?

sentimentos nao sao numeros

E para completar, muitos homens sequer comentam sobre seus medos, inseguraças ou fraquezas com as pessoas mais íntimas. Alguns familiares e amigos reforçam incoscientemente o estereótipo “machão”, seja criticando ou zombando os rapazes mais emotivos. Até mesmo o diálogo com o próprio pai acaba deixando o tópico “emoções e sentimentos” de lado. Isso sem comentar os casos de crianças que crescem sem a presença de uma figura paterna presente e participativa.

A mídia também não facilita! O galã é quase sempre bonito, forte, sedutor. Realidade esta que passa a quilometros de distância de muitos rapazes. Claro que este “detalhe” raramente merece espaço e atenção nas conversas masculinas.

Resultado: muitos homens ignoram o que sentem e/ou nunca aprenderam a lidar com suas emoções. Assim, não é surpresa alguma observar que muitos têm dificuldades em reconhecer se o que estão sentindo é raiva, orgulho ou simplesmente tristeza. Muitos têm dificuldades de expressar o que sentem em palavras, gestos ou ações.

sopa de emocoes

Daí, nem precisa se sentir surpreso quando as queixas mais comuns são:

– meu namorado tem dificuldades em me dizer o que sente
– quando discutimos sobre gostar e amar, parece que estou falando grego
– nunca sei se quando ele diz que está tudo bem, está tudo bem mesmo
– discutir a relação é praticamente um monólogo

O fato é que muitos homens se deparam com a necessidade de reavaliar seus sentimentos quando estão em um relacionamento. Aí percebem a necessidade de amadurecer, a importância de se comunicarem e a importância da troca de sentimentos. Portanto, meninas, não achem que eles fazem isso de próposito!

Diferente das mulheres, que são incentivadas a falar sobre si e o que sentem abertamente, homens aprendem isso de forma velada, muitas vezes já na idade adulta. Antes de criticar, tentem ajuda-los a se reconhecer. Apoie e verbalize o que ele ainda não é capaz de exprimir em palavras. Agora, claro que cabe a cada um a responsabilidade em querer evoluir e se tornar uma pessoa melhor. Isso só você pode fazer por você mesmo!

Leia também:

Texto por Fernanda Suguino. Todos os direitos reservados.
Reprodução parcial permitida com citação obrigatória do link de origem.

Ensine por meio de exemplos

Ler…

É incontestável a importância da leitura para o desenvolvimento e a formação de crianças, jovens e adultos. Durante as férias escolares, poucos são os alunos que consideram a leitura um lazer. Na maioria das vezes, as crianças associam a leitura às obrigações escolares e tentam manter distância dos livros nos dias de folga.

Constatamos que os alunos não gostam muito de ler. Esta é uma opinião partilhada por muitos professores e reforçada pelas estatísticas do IBGE que apontam que 25% da população sofre de analfabetismo funcional, ou seja, lê e escreve frases simples, mas não é capaz de interpretar textos e expressar com clareza suas idéias no papel.

Apenas para uma pequena parcela, ler é uma necessidade, um prazer ou até um vício. Mas, para a grande maioria, ler é uma imposição, uma obrigação normalmente desagradável imposta pela escola ou pela profissão.

Como as escolas estão enfrentando a situação?

O gosto pela leitura está diretamente associado aos estímulos proporcionados à criança na escola e na família. A escola tem um papel primordial no desenvolvimento de atividades de reforço e/ou iniciação ao gosto pela leitura, mas o contexto familiar é de suma importância. Crescer no meio de livros e ver, à sua volta, as pessoas que os apreciam pode ser um excelente início na formação de um leitor. Principalmente se forem pessoas significativas como os pais, avós, ídolos ou amigos.

Fernanda_Suguino_Colegio_Magister

O Colégio Magister, onde trabalhei como Orientadora Educacional, resolveu enfrentar esse desafio e estimular os alunos nessa viagem por meio do evento “Feira das Palavras”. Em grupo, os alunos ofereceram aos convidados da noite uma palavra para o mundo. Foi uma oportunidade para que eles pudessem expressar de forma criativa suas idéias, conselhos e críticas relacionados aos temas mais diversos, escolhidos por eles próprios.

O engajamento ativo dos alunos a fim de transmitir uma ideia, mensagem ou pensamento foi o ingrediente que fez a diferença. Os grupos foram formados de acordo com a sua identificação com o tema. Os alunos precisavam se sentir parte integrante daquela causa, precisava se identificar com a ideia de corpo e alma, precisavam realmente acreditar que o tema pelo qual trabalhavam fazia sentido na vida deles. Assim, as palavras eram apenas ferramentas para se aprofundarem no tema, comunicarem suas opiniões, abraçar a causa e fazer a diferença.

Motivados por uma causa única, as ideias e as leituras surgiam naturalmente nos grupos, que eram orientados pelos professores, que por sua vez, também deviam se identificar de corpo e alma com o assunto. Assim, as palavras ganharam forma, foram palestras, vídeos, enquetes, peças de teatro, jogos, gincanas, panfletos, poemas… O método não importava. A causa e o engajamento sim eram o motor do trabalho. Dentre os temas surgiram maus tratos aos animais domésticos, destruição do meio ambiente, obesidade infantil, família patchwork entre outros.

projeto_educativo

A identificação com o tema foi fundamental para que a leitura não fosse em vão, nem apenas para ganhar nota, mas sim, para que agregasse conhecimento, conteúdo e informação aos alunos. Essa identificação garantiu uma interação com o conteúdo lido e foi o estopim para que gerar ideias, discussões e muito crescimento. Senão, como em muitos trabalhos escolares, a leitura se torna mesmo um ato vazio de significado, uma atividade monótona, feita por obrigação, cujo retorno nem sempre justifica o tempo investido em sua realização.

Para complementar, de acordo com o norte que os trabalhos iam ganhando, os professores disponibilizava aos alunos fontes (livros, sites, jornais…) que contribuiam para a fundamentar o tema e embasar os argumentos dos próprios alunos. Eles percebiam então que havia um universo de pessoas que também se interessava pelo mesmo assunto e lutavam pela mesma causa. Essa experiência permitia ao mesmo tempo um crescimento intelectual, mas acima de tudo, pessoal aos alunos. O nosso lema era: estimular a sensibilidade, o senso crítico, o gosto pela leitura, contribuindo para a construção de cidadãos ativos, conscientes e comprometidos com a prática social.

O nosso objetivo foi disseminar e multiplicar os sentido das palavras àqueles jovens, que percebiam lentamente que as palavras era apenas uma ferramenta para mover ações, paixões e emoções que tocassem às pessoas a pensar sobre o assunto, assim como eles mesmos pensaram.

mostra_cultural

Gradativamente, vimos as discussões do recreio mudarem de tom, vimos o espaço da Biblioteca ser reocupado, vimos alunos defendendo suas opiniões e engajando-se em causas pelas quais realmente acreditavam fazer sentido. E o colégio apoiou esse movimento promovendo encontro com escritores, participação em Olimpíadas Educacionais, apoiando projetos sociais e de ajuda à comunidade local.

As palavras possuem o poder de suscitar o imaginário, conduzir sentimentos, construir valores, instigar questionamentos, encontrar novas idéias e possíveis soluções que ampliem a nossa compreensão do mundo e a nossa capacidade de transformá-lo.

“Ler é a mágica de entender o silêncio das palavras num diálogo incessante entre um livro que fala e uma alma que responde.”

Texto por Fernanda Suguino, Orientadora Educacional, Colégio Magister (2008-2009)

Pena que no texto original (Magi News, Colégio Magister Junho/2009)  escreveram meu nome errado…

Um grande abraço a todos os pais e alunos com quem tive a oportunidade e o prazer de trabalhar! Saudades de vocês e dos tempos de Magister! Foi um prazer fazer parte dessa história e ver alguns alunos ativos em movimentos estudantis que tentam mudar a cara do nosso país!

Leia também:

Como você estimula ou pretende estimular o seu filho a ler?

Viver juntos para sempre… Conto de fadas X realidade

Conta uma lenda dos índios sioux que, certa vez, um jovem casal apaixonado chegou de mãos dadas na tenda do feiticeiro da tribo e perguntaram-lhe o que poderiam fazer para ficarem juntos para sempre.

Pensativo, o feiticeiro disse que algo poderia ser feito, mas que seria uma tarefa MUITO difícil.

falcaoA moça deveria escalar a montanha sozinha e, apenas com uma rede capturar o falcão mais vigoroso.

O rapaz deveria fazer o mesmo na montanha mais ao sul e capturar a mais brava de todas as águias.

Os animais deveriam ser entregues vivos ao feiceiro até o terceiro dia depois da lua cheia.

voo_aguiaAmbos partiram para cumprir sua missão! No dia marcado, o casal aguardava o velho com as aves, certos de terem cumprido todas as instruções recebidas!

O feiticeiro constatou que se tratavam realmente dos animais que ele havia pedido. Então ordenou ao casal que amarrassem as aves pelos pés com uma corda de couro. Assim, elas viveriam juntas para sempre!

O casal cumpriu as ordens do velho sábio. Ao soltar as aves, ambas tentaram voar, mas não conseguiram. Minutos depois, irritadas pela impossibilidade de voo, as aves arremessaram-se uma contra a outra, bicando até se machucarem.

briga_de_casal

Então, o velho disse:

─ Jamais se esqueçam do que estão vendo aqui! Vocês são como a águia e o falcão. Se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não só viverão se arrastando, assim como, cedo ou tarde, machucarão um ao outro.

casal_algemado
Se quiserem que o amor de vocês dure, voem juntos, mas jamais amarrados. Libere a pesoa que você ama para ela possa voar com as próprias asas. Respeite o direio dela voar rumo aos seus sonhos.

A lição principal é que somente livres as pessoas são capazes de amar.

liberdade_de _viver

Leia também:

Por que é tão difícil entender as pessoas?

entendendo_pessoasSe vocês está lutando contra a tarefa quase impossível de entender as pessoas que lhe cercam, a única coisa que eu posso lhe assegurar é que isso não é mesmo nada fácil. Principalmente se as pessoas com quem você convive, não são capazes de responder para si mesmas duas perguntas mais do que básicas:

– quem são?
– o que esperam para si? Ou que objetivos perseguem?

Antes de achar que o problema é seu, tente limitar o Eu e o Outro. Será que você é capaz de responder a essas duas perguntas básicas sobre você mesmo?

Se a resposta for positiva, então, você já percorreu 50% do sinuoso caminho do relacionamento interpessoal. O problema é os os outros 50% dependem SEMPRE do Outro. E se a outra pessoa não é capaz de definir isso para si mesma. Não adianta você querer fazer isso por ela!

De duas uma…

esperar_felicidadeOu você se resigna e escolhe esperar até que a pessoa resolva tomar um rumo na vida.

Conselho:

Isso pode demorar anos ou, até mesmo, a vida inteira! E no final, pode ser que vocês concluam que realmente não possuem nada em comum.

esperando_a_felicidade_chegarOu você decide abandonar essa pessoa e procurar outra, que tenha semelhanças e interesses comuns aos seus.

Conselho:

Pode ser que a procura demore anos, mas finalmente quando você encontrar o seu par, o caminho promete seguir de forma mais harmoniosa.

Independente da sua escolha, vale à pena não perder de vista que toda essa energia que investimos em tentar entender as pessoas, é porque nos convencemos que seremos mais felizes acompanhados do que sozinhos. Que graça tem chegar ao paraíso e não ter com quem compartilhar essa alegria?

em_busca_do_par_perfeitoÉ realmente um dilema!

Bem, que tal então percorrer o caminho até o paraíso e torcer para encontrar alguém no caminho? Se até lá você ainda estiver sozinho, espere mais um pouco na porta do Éden! Quem sabe assim serão maiores as chances de encontrar alguém para desfrutar a vida juntos? Na pior das hipóteses, você já estará bem perto do que sempre desejou para sua vida…

caminhos_da_vida

Mas pare de tentar resolver pelos Outros, o que nem eles mesmos são capazes de resolver sozinhos. Assim, você não vai ser feliz NUNCA.

Leia também:

Texto por Fernanda Suguino. Todos os direitos reservados.
Reprodução parcial permitida com citação obrigatória do link de origem.

Pais e filhos: uma relação de amor e ódio

Quem tem filhos sabe o quanto essa relação é marcada por momentos de altos e baixos. Amor e ódio fazem parte da história de todas as famílias, quer a gente possa assumir ou não sentimentos tão contraditórios entre pessoas tão próximas.

relacao pais e filhos no gentecomgente

Pais desejam o melhor para seus filhos, mas esses desejos nem sempre vão de encontro ao que os filhos desejam para si mesmos. Apesar de adolescentes ainda não serem plenos de escolhas, não se pode negar que eles já tem um caráter formado, uma identidade única e gostos próprios. Ainda que isso não agrade a seus pais!

Pais que amam seus filhos, precisam trabalhar a tolerância para aceitar as diferenças. Não é fácil aceitar que os filhos, muitas vezes, resolvem seguir caminhos diferentes daqueles que foram planejados por seus pais.

Vale à pena refletir!

Muitos filhos não sabem amar, porque não se sentem verdadeiramente amados!???? Pense nisso!

Esse vídeo é comico e trágico ao mesmo tempo, mas ilustra perfeitamente o papel de vítima, tão comum e tão cômodo, assumido por pais e filhos frente aos conflitos.

E para entender melhor esse processo, confira aqui a a opinião de um especialista sobre o assunto:

Ver também:

Texto por Fernanda Suguino. Todos os direitos reservados.
Reprodução parcial permitida com citação obrigatória do link de origem.